Ingleses lotam Trafalgar Square para expressar sua repulsa a Thatcher cantando: “A bruxa está morta!”

Das mais variadas formas, o povo britânico vem manifestando sua repulsa por Margareth Thatcher. No sábado (13), apesar da chuva uma multidão celebrou na Trafalgar Square, a mais tradicional praça de Londres, a morte de Thatcher. "Maggie, Maggie, Maggie, morta, morta, morta", comemoraram os presentes, sob as vistas da polícia. Os manifestantes abriram champagne e festejaram. Delegações dos mineiros britânicos participaram, empunhando uma bandeira do Sindicato Nacional dos Mineiros, da histórica greve contra o fechamento de minas. 16 pessoas, a maioria por embriaguez, foram detidas.

A velha canção "Ding Dong! The Witch Is Dead (A Bruxa Está Morta", da trilha do filme "O Mágico de Oz", estourou nas paradas inglesas, alcançado o segundo lugar com mais de 50 mil cópias vendidas, após uma página do facebook ter convocado que seja pedida para comemorar a morte da Dama de Ferro.

Mais de um milhão de visitantes acessaram o site isthatcherdeadyet.co.uk (Thatcher já está morta?), que existe desde 2010 e passou a exibir um jubiloso "sim", sendo que mais de 199 mil pessoas já "curtiram" no facebook.

Outra iniciativa foi o lançamento de uma petição online em um site do governo pedindo a desestatização do funeral de Thatcher, depois que foi relatado que este terá um custo calculado em oito milhões de libras esterlinas, com despesas pagas pelo erário. A petição, que já soma 34 mil assinaturas, assevera jocosamente que essa é "a maneira ideal de cortar gastos do governo e ainda provar os méritos da economia liberalizada liderada pela baronesa Thatcher".

Também a torcida do Liverpool, que desde a tragédia de 1989, em que morreram 96 torcedores, tem o grito de "Quando Margaret Thatcher morrer, vamos todos festejar!",

comemorou em grande estilo no sábado no jogo contra o Reading, que acabou em empate de 0x0. Na época, o governo Thatcher culpou a torcida, e só recentemente o primeiro-ministro Cameron pediu desculpas, admitindo que a responsabilidade foi da polícia e das instalações inadequadas do estádio Hillsborough, com grades de ferro que contribuíram decisivamente para que as pessoas morressem esmagadas e pisoteadas.

Em Easington Colliery, no condado de Durgham, no norte do país, onde há 20 anos foi fechada a mina em torno da qual girava a economia local, os ex-mineiros resolveram comemorar no dia do funeral de Thatcher, cumprindo uma promessa feita por eles então – um "acordo unânime para organizar essa celebração após a morte da pessoa que destruiu as minas de carvão".


Capa
Página 2
Página 3

ANP diz que pretende entregar pré-sal às múltis de 2 em 2 anos

Advogados de réus da AP 470 repudiam Barbosa por cercear direito de recursos

Dilma parabeniza Nicolás Maduro pela vitória eleitoral na Venezuela

Lula aplaude Maduro e critica EUA: ‘vira e mexe os americanos cismam em contestar uma eleição’ 

Requião: governo caiu na armadilha da privatização

Gleisi rejeita respeitar autonomia do porto de Suape, como pediu Eduardo Campos

“Barbosa acha que pode tudo”, afirma líder da Associação dos Magistrados

Tarso: A “Grande Mídia” é intolerante -1

Banquete pago por advogado para Luiz Fux pega mal e é cancelado

Página 4 Página 5 Página 6

Atos em Washington e Nova Iorque exigem fechamento de Guantánamo

Torturas no campo de concentração leva a rebelião dos presos e greve de fome

   Portugueses exigem fim do arrocho e do desemprego em ato comandado pela CGTP

Ingleses lotam Trafalgar Square para expressar sua repulsa a Thatcher cantando: “A bruxa está morta!”

Guantánamo está me matando

RPDC quer que Coreia do Sul se desculpe por desrespeito à imagem dos líderes nacionais

EUA usa seus drones para atacar funerais no Paquistão

Página 7 Página 8

As razões da Coreia Popular frente à agressão dos EUA & seus satélites