Reprodução Vida Bancária

Sindicatos realizam assembleias mobilizando para greve nacional dia 28 de abril

CNBB, OAB e Cofecon condenam PEC 287: não é justa, nem ética

Brasileiros repudiam ataques de Temer à Previdência e à CLT e vão à Greve Geral

Michel Temer e seu governo estão cada vez mais acuados pelo povo e a Lava Jato. Depois da descrição detalhada do ex-executivo da Odebrecht, Márcio Faria da Silva, de sua participação na reunião, realizada no escritório do peemedebista em SP, onde foi exigida propina de US$ 40 milhões em troca da assinatura de um contrato da Petrobrás com a empreiteira, Temer decidiu radicalizar a guerra contra o povo. Aturdido, ele acha que só assim, arrancando o sangue do povo, seus patrões do mercado financeiro vão segurá-lo. Pensa que, transformando o Brasil em terra arrasada e entregando o espólio a bancos e monopólios, vai se consagrar com essa gente.

Está enganado. O povo já decidiu barrar seus planos. A manifestação na terça-feira (18), em Brasília, de policiais e professores, que optaram por entrar na Câmara para assistir aos debates e, ao serem impedidos, resolveram quebrar algumas vidraças, dar uns bofetões e botar os seguranças para correr, é só uma pequena amostra do que vem por aí. Cresce em todo o país a decisão de parar o Brasil no dia 28 de abril.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o Conselho Federal de Economistas (COFECON) divulgaram um manifesto na quarta-feira (19) dando total apoio à luta dos trabalhadores. (Ver nota ao lado).

“Não é correto, para justificar a proposta, comparar a situação do Brasil com a dos países ricos, pois existem diferenças profundas em termos de expectativa de vida, níveis de formalização do mercado de trabalho, de escolaridade e de salários. No Brasil, 2/3 dos aposentados e pensionistas recebem o benefício mínimo”, diz um trecho da nota conjunta, taxando a iniciativa do governo de injusta e antiética.

MANOBRAS

As manobras do governo, que só fingem recuar, mas que mantém mais de 80% das safadezas, segundo o próprio Meirelles que, em reunião com o FMI, na quarta-feira, garantiu a eles que a “essência” do projeto está mantida, ou seja, que eles vão jogar para as calendas gregas as aposentadorias e reduzir os valores pagos, é uma demonstração de que a luta deve prosseguir. As “manobras” e os falsos recuos de Temer são frutos exatamente da gigantesca pressão que a sociedade está fazendo contra o esbulho.

MÉTODO DE CUNHA NÃO!

O açodamento de Temer em atropelar tudo e chantagear sua própria base, como fez no “café da manhã”, realizado no último fim de semana, e obrigá-los a colocar em votação pela segunda vez, depois da derrota do dia anterior, a urgência para o projeto de reforma trabalhista, só revela o que eles são capazes de fazer para mostrar serviço a seus amos. Meirelles esteve reunido nesta mesma hora prestando contas ao FMI em Washington. Por isso, na quarta-feira (19) eles desrespeitaram tudo e deram o golpe na votação. Repetiram o que fazia Eduardo Cunha pouco antes de ser preso. E não faltaram alertas a Rodrigo Maia, codinome “Volante”, de que, se ele insistir em imitar Cunha, vai ter o mesmo destino. 

Os discursos não deixaram dúvidas sobre as intenções do governo. Tirar direitos dos trabalhadores, para eles, é “modernizar o Brasil”. Reduzir o custo da mão de obra em cima do salário é “integrar o Brasil no mundo atual”. Tirar o sangue dos assalariados vai tornar os produtos brasileiros “mais competitivos”. Faltou pouco para defenderem a escravidão. Um dos mais enfáticos na defesa do fim dos direitos trabalhistas era o deputado Júlio Lopes, do PMDB do Rio. O cidadão acabou de ser denunciado pelo roubo, junto com Sérgio Cabral - que está preso - de R$ 50 milhões nas obras da Linha 4 do Metrô. O cidadão deitou falação contra os direitos dos trabalhadores. Isso é só um exemplo de que tipo de gente, está decidindo o futuro dos direitos trabalhistas no país. É óbvio que isso não pode ser. E é obvio também que essa gente não pode continuar decidindo sobre a política brasileira.

Na Previdência então, é uma vergonha. No espaço de um mês Temer inventou vários números diferentes que seriam, segundo eles, o “rombo” nas contas do sistema. Mentira desavergonhada. Os números foram desmascarados um a um pela ANFIP, entidade dos auditores fiscais da Previdência, e por outros economistas e professores de renome. Eles demonstraram cabalmente que a Previdência e a Seguridade Social são superavitárias e que, o que governo quer é tirar mais dinheiro ainda do que já tira dos aposentados para entregar aos bancos. Só este ano, com a Desvinculação de Receitas da União (DRU), está previsto um desvio de R$ 120 bilhões da Previdência para o sistema financeiro.  Desmoralizado, o governo tentou inutilmente proibir a circulação dos documentos da ANFIP.

MOBILIZAÇÃO

A greve está sendo preparada em todo o país. Todas as Centrais Sindicais estão mobilizadas e chamando suas bases a pararem as atividades e ocuparem as ruas. Diversas categorias já realizaram assembleias e aprovaram a greve. Ubiraci Dantas, presidente da CGTB, está correndo o Brasil inteiro. Ele disse que poucas vezes viu uma mobilização tão forte como esta. “A disposição de luta dos trabalhadores é impressionante. Ninguém está aceitando a abrir mão de direitos conquistados há tantas décadas e com tanto sacrifício”, afirmou o sindicalista.

Em seu açodamento para agradar os bancos, o governo está agindo em duas frentes. Por um lado tenta acelerar as medidas anti-povo com seus capangas no Congresso. E, por outro, tenta parar a Lava Jato, através de uma suposta lei de abuso de autoridade. Na verdade um instrumento inventado por Gilmar Mendes e Renan Calheiros para tentar livrar os ladrões da prisão. O projeto pune quem está investigando o assalto perpetrado pelo PT, PMDB, PSDB, PP e outros satélites aos cofres públicos. O MPF e o juiz Sérgio Moro condenaram a proposta.

Se o governo está agindo nas duas frentes, a população também está respondendo da mesma forma. A reação às manobras dos investigados da Lava Jato foi eficaz nesta quarta-feira e impediu a leitura do relatório elaborado por Requião, a pedido de Renan. O senador Randolfe Rodrigues denunciou a “pressa” e paralisou o processo. E, na outra frente, a greve cresce em todo o país. Entidades de todas as categorias se somam à luta. As igrejas, tanto católicas quanto as evangélicas, repudiam o projeto. Até o Papa Francisco protestou contra as medidas de Temer.

Em carta, o sumo pontífice desceu a lenha no governo brasileiro. “Não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, escreveu ele, recusando o convite de Temer para que viesse ao Brasil. Francisco criticou Temer também por sua insensibilidade e disse que não é razoável “deixar que a mão invisível do mercado atue contra os interesses do povo”. E é sempre bom lembrar que Temer persegue os trabalhadores e os aposentados mas, ele próprio se aposentou aos 55 anos e recebe um polpuda aposentadoria de 30 mil reais por mês.   

SÉRGIO CRUZ
 


 


Capa
Página 2
Página 3

Notas fiscais falsas provam que Bittar é laranja do sítio de Atibaia

Sérgio Moro desmente apoio ao substitutivo do projeto para perseguir juízes e procuradores

Randolfe: “relatório de Requião parece que foi feito pela associação dos advogados dos réus da Lava Jato”

Odebrecht pagou Pastor Everaldo para ajudar Aécio

Papa repele as “soluçoes superficiais” com base na ‘esfera meramente financeira’

João Santana e Mônica Moura confirmaram que propina irrigou as campanhas de Lula e Dilma

Odebrecht: Paulo Bernardo recebeu R$ 934 mil de propina e Gleisi R$ 5 milhões para sua campanha

Página 4 Página 5

Policiais invadem o Congresso:  ‘tirem as mãos da Previdência’

‘Policiais estão dando a resposta. Vamos derrotar essa PEC’, diz Bira

Petroleiros aprovam apoio à greve geral no dia 28

Portuários do Rio param dia 28: “Vamos à luta contra os retrocessos e barrar essas propostas”

“Agora é greve! Vamos cruzar os braços e deixar claro para o governo: nenhum direito a menos”, diz Sintetel

USP adere à greve e marca protestos na região

Frente de Magistrados e Ministério Público: “Reforma trabalhista é o maior projeto de retirada de direitos desde a CLT”

Taubaté: Volks coloca 3,6 mil em férias coletivas

ESPORTES: Inter vence Corinthians e avança na Copa do Brasil

 

 

 

Página 6

Assange: “CIA ameaça WikiLeaks para ocultar seus assassinatos”

Californianos promovem ato em apoio a projeto-lei que oferece saúde para todos

Liberdade para Marwan Barghouti

Manifestações contra e a favor de Maduro reúnem milhares e choques resultam em mortos e feridos

Polícia política venezuelana invade a residência do general opositor Alcalá

Artigo de Barghouti no NYT e o ritual israelense de negação e engodo

EUA: setor de restaurantes sofre queda de 3,7% após 11 meses consecutivos de retração

Página 7

 Desastre de Hollande leva a França a eleição imprevisível

Premiê inglesa quebra promessa e antecipa eleição na tentativa de encolher bancada oposicionista

‘Poderosa armada’ de Trump desvia para a Austrália


Tillerson provoca: “Irã ‘sem controle’ pode virar outra Coreia”

Evo Morales conclama líderes políticos a repudiar as ameaças de intervenções militares do Império

Coreia Popular festeja o 105º aniversário de Kim Il Sung

Página 8

Nelson Werneck Sodré: a obra de José de Alencar na História - (4)

Publicidade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FV-  '\Q2 DC ZVBNM