Capez e outros deputados estaduais paulistas foram citados nas delações da Odebrecht

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal que investigações sobre seis deputados estaduais de São Paulo sejam encaminhadas à Procuradoria da República paulista, após serem citados em delações de executivos da Odebrecht. Contra cinco deles, há indícios de envolvimento em caixa dois.

Fernando Capez (PSDB), Barros Munhoz (PSDB), Roberto Massafera (PSDB), João Paulo Rillo (PT), Luiz Fernando Teixeira Ferreira (PT) e Campos Machado (PTB) serão investigados pela Procuradoria da República em São Paulo. A soma das doações aos deputados estaduais apontadas pelos delatores ultrapssa R$ 1 milhão.

Na lista, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), é acusado de ter recebido, por meio de uma ONG de tratamento da Hepatite C, R$ 100 mil reais de caixa dois. O executivo da Odebrecht Carlos Armando Paschoal diz ter sido procurado, nas proximidades das eleições de 2010, por Luiz Carlos Francisco Martucci, que hoje é funcionário de gabinete do tucano na Assembleia. “Durante as eleições eu entendia que ele era quem ajudava o candidato”. De acordo com o executivo da empreiteira, a quantia de R$ 100 mil foi paga em três parcelas ‘em espécie’ e foi operacionalizada com o próprio Martucci.

Outro ex-presidente da Assembleia Legislativa também envolvido como alvo na petição da Procuradoria Geral da República é o deputado estadual tucano Barros Munhoz, que, segundo delatores da Odebrecht, recebeu R$ 50 mil reais por meio de caixa dois. “Apenas recebi por parte do conselheiro Aloisio Araújo, um contato que era o arrecadador do Barros Munhoz”. Segundo o delator, os valores para a campanha do deputado tucano foram operacionalizados pelo arrecadador, não identificado no depoimento, e pelo funcionário do departamento de propinas da Odebrecht, Luiz Eduardo Soares. Munhoz recebeu o codinome de ‘Cruzeiro do Sul’ em planilhas referentes a repasses da empreiteira. “Caixa dois… programava com Luiz Soares as duas entregas, combinava com a pessoa como entregar e foi o que fizemos”, afirma Carlos Armando Paschoal.

O primeiro secretário da Casa, Luiz Fernando Teixeira (PT), irmão do deputado federal Paulo Teixeira (PT-AP), é o único deputado delatado por executivos da Odebrecht cuja investigação está sob sigilo. Segundo petição encaminhada pelo Procurador Geral da República, os diretores da construtora Benedito Júnior, Alexandrino Salles de Alencar e Luiz Antonio Bueno Junior confirmaram repasses, por meio de caixa dois, de R$ 300 mil à campanha do deputado, em 2014. Segundo a planilha, o deputado teria o apelido de ‘Lamborguiny’.

João Paulo Rillo (PT), quando era prefeito de São José do Rio Preto, recebeu doações no valor de R$ 500 mil da construtora, em 2012, como foi relatado pelo ex-diretor regional de São Paulo, Guilherme Pamplona Paschoal, seu codinome na lista de repasses da Odebrecht era ‘Boiadeiro’.


Capa
Página 2
Página 3

Notas fiscais falsas provam que Bittar é laranja do sítio de Atibaia

Sérgio Moro desmente apoio ao substitutivo do projeto para perseguir juízes e procuradores

Randolfe: “relatório de Requião parece que foi feito pela associação dos advogados dos réus da Lava Jato”

Odebrecht pagou Pastor Everaldo para ajudar Aécio

Papa repele as “soluçoes superficiais” com base na ‘esfera meramente financeira’

João Santana e Mônica Moura confirmaram que propina irrigou as campanhas de Lula e Dilma

Odebrecht: Paulo Bernardo recebeu R$ 934 mil de propina e Gleisi R$ 5 milhões para sua campanha

Página 4 Página 5

Policiais invadem o Congresso:  ‘tirem as mãos da Previdência’

‘Policiais estão dando a resposta. Vamos derrotar essa PEC’, diz Bira

Petroleiros aprovam apoio à greve geral no dia 28

Portuários do Rio param dia 28: “Vamos à luta contra os retrocessos e barrar essas propostas”

“Agora é greve! Vamos cruzar os braços e deixar claro para o governo: nenhum direito a menos”, diz Sintetel

USP adere à greve e marca protestos na região

Frente de Magistrados e Ministério Público: “Reforma trabalhista é o maior projeto de retirada de direitos desde a CLT”

Taubaté: Volks coloca 3,6 mil em férias coletivas

ESPORTES: Inter vence Corinthians e avança na Copa do Brasil

 

 

 

Página 6

Assange: “CIA ameaça WikiLeaks para ocultar seus assassinatos”

Californianos promovem ato em apoio a projeto-lei que oferece saúde para todos

Liberdade para Marwan Barghouti

Manifestações contra e a favor de Maduro reúnem milhares e choques resultam em mortos e feridos

Polícia política venezuelana invade a residência do general opositor Alcalá

Artigo de Barghouti no NYT e o ritual israelense de negação e engodo

EUA: setor de restaurantes sofre queda de 3,7% após 11 meses consecutivos de retração

Página 7

 Desastre de Hollande leva a França a eleição imprevisível

Premiê inglesa quebra promessa e antecipa eleição na tentativa de encolher bancada oposicionista

‘Poderosa armada’ de Trump desvia para a Austrália


Tillerson provoca: “Irã ‘sem controle’ pode virar outra Coreia”

Evo Morales conclama líderes políticos a repudiar as ameaças de intervenções militares do Império

Coreia Popular festeja o 105º aniversário de Kim Il Sung

Página 8

Nelson Werneck Sodré: a obra de José de Alencar na História - (4)

Publicidade