Cruz Vermelha encontra 115 cadáveres na República Centro-Africana, sob intervenção da França
 

 A Cruz Vermelha da República Centro-Africana informou nesta quarta-feira (17) que encontrou 115 corpos na cidade de Bangassou que possui uma importante mina de diamantes. Os mortos apareceram depois de vários dias de confrontos entre milícias em luta pelo controle da cidade desde 2013 quando a Seleka, grupo de religião muçulmana, tomou o poder no país depondo o presidente François Bozize apoiado pela ex-metrópole francesa.

Tropas da ONU que integram uma missão de paz e mais 1.600 soldados franceses tentam controlar o país e reduzir os conflitos, mas a região central do país muito rica em minérios é muito disputada, e a França tem tido preferência na pilhagem das riquezas, mesmo que sua ex-colônia subsaariana de 4 milhões e 600 mil habitantes tenha se tornado independente a partir de 1960. A República Centro Africana até 1958 fazia parte da África Equatorial Francesa território concedido à França ainda no século XIX, no coração da África, que incluía também a República do Congo, Chade, Gabão e Camarões.

Embora 50% da população seja de cristãos e os outros 50% se componha de muçulmanos e outras religiões ancestrais, o que se passa na República Centro-Africana não é um conflito de religiões, como diz a mídia repetindo afirmações convenientes de representantes da ONU. As tribos e a população pobre e desamparada deste país africano são permanentemente manipuladas para atender os interesses de quem manda, a antiga metrópole e os EUA com seu Africon.

Em 1993 foi eleito Presidente da República, Ange Feliz Patassé, que governou por 10 anos com apoio da França. Em 2003 a França escolheu um aliado melhor para os seus interesses e apoiou Bozizé que derrubou com um golpe armado o presidente Ange. Mas Bozizé não conseguiu se impor. Ainda assim governou por 10 anos com forte oposição do grupo Seleka que cresceu muito e finalmente em 2013 tomou o poder contra a vontade dos franceses que enviaram tropas e articularam o fortalecimento da missão militar dita de paz da ONU “para garantir a paz e a estabilidade política” em vão.

Os conflitos dos quais o país africano não se livra é resultado do colonialismo, da superexploração e do intervencionismo europeu e americano para o saque e a pilhagem das riquezas do continente africano. Enquanto isso, os leitores continuarão a ver nos jornalões e nas TVs, notícias sobre as guerras “religiosas” na República Centro-Africana e em outros países africanos.
 

 ROSANITA CAMPOS             
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Capa
Página 2
Página 3

Salvação do Brasil é ter eleições gerais já!

Molon protocola pedido de impeachment

Fachin afasta Aécio do Senado

Agendas e foto desmentem Lula

Okamoto e Vaccari na agenda de Léo Pinheiro (Carlos Lopes)

JBS: Mantega recebia a propina e distribuía

Página 4 Página 5

Paim: ‘Quem votar pela PEC da Previdência não volta em 2018’

Com manifestações e panelaço, povo vai às ruas após divulgação de gravações de Temer

“Paramos o Brasil e agora vamos ocupar Brasília”, convocam Centrais em manifesto

Se ‘reforma trabalhista’ for aprovada, Justiça do Trabalho acaba em 5 anos, afirma ministro do TST

Contrato ‘autônomo’ deixará trabalhador sem direitos e garantias, denuncia Juiz

Metalúrgicos de todo o país preparam acampamento no Congresso contra “reformas”

GM deixa 1,5 mil em layoff por 5 meses em São José

ESPORTES - Na Argentina, Flamengo é eliminado da Libertadores

 

Página 6

Gregos em greve geral rechaçam arrocho. Perdas chegam a 52,6%

Mídia cai no ridículo ao divulgar balela de que o cyberataque veio da RPDC

Argentina: professores e estudantes marcham contra ataque de Macri a universidade pública

José Dirceu recebeu R$ 4,3 milhões para facilitar contubérnio Oi/Portugal Telecom

Professores colombianos param por “reajuste que responda à inflação”

Boicote, desinvestimento e sanções a Israel em defesa dos palestinos

Página 7

Homeland aperta em Washington DC cerco ao presidente Trumpov

Chelsea Manning agradece apoio que recebeu do mundo todo ao ser libertada de Fort Leavenworth

Ford anuncia demissão de 20 mil trabalhadores

Marcelo Odebrecht confirma à Procuradoria Geral do México seus subornos na Pemex

Casa Branca nomeia advogado de bancos para regular a moeda

Cruz Vermelha encontra 115 cadáveres na República Centro-Africana, sob intervenção da França

Polícia algema criança de 7 anos em escola nos EUA

Trump suspende plano de mudar a embaixada dos EUA para Jerusalém

Página 8

A Baronesa de Grajaú e outros casos da piedosa caridade dos escravagistas - (3)