Fonte IBGE

 

Venda no varejo cai em maio e está 10% abaixo de 2014

Embuste de “recuperação da economia” não muda a realidade do desemprego, arrocho salarial, restrição ao crédito e de juros altos

Mais uma vez os dados oficiais testemunharam contra a mentirosa campanha do Brasil recuperado, protagonizada por Temer, Meirelles e seus bajuladores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas no comércio varejista do país caíram -0,8% em 2017 até maio e já acumulam perdas de -3,6% nos últimos 12 meses, reflexo direto do desemprego galopante, altos juros e arrocho salarial.

Com relação às vendas do varejo ampliado – que considera também as vendas de automóveis e materiais de construção – o recuo chega a -0,6% no ano e -5,2% nos últimos 12 meses. Nesta última base de comparação, nenhum dos 11 setores pesquisados pelo IBGE cresceu.

As matérias e reportagens estampadas na maior parte dos veículos de comunicação – e também nos portais de órgãos oficiais e ministérios – destacou apenas um aspecto do resultado da pesquisa: o crescimento (sem ajuste) de 2,4% verificado em maio de 2017 sobre maio de 2016. Porém, em maio de 2016, as vendas tinham recuado -9% sobre o mesmo mês do ano anterior. E um crescimento de menos de 3% após uma queda de quase 10% está longe de representar que o setor saiu do abismo.

O IBGE também destaca, a despeito da pretensa recuperação, que o setor varejista está com a sua atividade 10% abaixo do que esteve em novembro de 2014, quando atingiu recorde em volume de vendas.

A variação de -0,1% em maio frente abril foi repercutida como sintoma de “estabilidade”. Contudo, é importante lembrar que o Dia das Mães, comemorado em maio, é a segunda data do ano mais importante para o comércio, quando todos esperam uma atividade muito mais aquecida do que o resultado da pesquisa refletiu. Não é à toa que dias antes, representantes do mercado apostavam em um resultado muito melhor: segundo pesquisa da Reuters, a expectativa era de alta de 0,35% na comparação com abril e avanço de 3,2% sobre maio de 2016.

RECESSÃO

“A recuperação do setor varejista passa necessariamente pela recuperação do mercado de trabalho”, afirmou Isabella Nunes, gerente da pesquisa do IBGE.

A atual política pautada no ajuste fiscal, privilégio aos bancos e corte nos direitos sociais e trabalhistas, contudo, colocam o horizonte da reação do mercado de trabalho muito distante. 24 milhões de pessoas vivem uma realidade de desemprego e sub-emprego hoje no Brasil.

“Os níveis de desemprego ainda elevados inibem o consumo de uma forma geral”, continuou Isabella. Isso se reflete no comportamento dos principais setores que compõe a atividade do comércio varejista.

No acumulado de 2017, o volume de vendas em supermercados (segmento mais importante na composição geral) recuou -0,8%. Em 12 meses, as perdas foram de -1,9%. O dado é preocupante principalmente porque representa que as famílias estão consumindo menos produtos que são considerados de primeira necessidade, como alimentos e itens de higiene – e que justamente por isso, são os últimos a serem cortados do orçamento.

Reflexo dos altos juros e da restrição de crédito, as vendas de móveis caíram surpreendentes -15,1% no ano e -13,1% em 12 meses. Veículos, motos e partes tiveram recuo de –6,2% e -11,2%; outros artigos de uso pessoal e doméstico, de -2% e -5,2%; e artigos farmacêuticos de -1,6% e -3% no ano e em 12 meses, respectivamente.

A deflação tão anunciada, portanto, não é um mérito, e sim, um sintoma do arraso da política de Temer e Meirelles. Os preços caem a cada dia porque a demanda, ou seja, os trabalhadores, não tem mais dinheiro para consumir.

PRISCILA CASALE
 

 

 


 




 


 


Capa
Página 2
Página 3

“Lula agiu com culpabilidade extremada”, afirma juiz Moro

Moro a Lula: a lei ainda está acima de você

Maluf garante que Temer é honesto

Geddel sai da Papuda para prisão domiciliar

Deputado acusa Temer de obstruir a Justiça

Para Major Olímpio, Temer implantou na CCJ uma “cafetinagem parlamentar”

Temer pede R$ 600 mil de Joesley como indenização

Farsantes Michel Temer e Maia prometeram MP para dar golpe na CLT

Página 4 Página 5

Randolfe: ‘senadores assinaram a mais cruel lei aqui já aprovada’

Mulher grávida poderá trabalhar em locais que causam riscos à saúde

“Povo foi traído por um Congresso vendido e ladrão. Eleições gerais já”, defende Paim

Ministério Público do Trabalho exige veto total ao PL e denuncia inconstitucionalidade ao STF

Conlutas: ‘Ataque aos direitos trabalhistas foi aprovado por parlamentares que estão no bolso da Odebrecht’

Bira: Congresso aprovou um projeto rejeitado pelo povo

ESPORTES - Timão 2 x 0 Palmeiras: quem para o Corinthians?

 

Página 6

“Pátria ou dólar”: a luta do povo argentino contra a parasitagem

Ministério Público do Peru requer prisão de ex-presidente Humala que Odebrecht subornou

“Assad teria 90% dos votos numa eleição na Síria”, afirma senador norte-americano

Procuradora-geral da Venezuela afirma que permanece “no cargo para defender a democracia”

Marea Socialista: “Resta à Venezuela retomar a Constituição de Hugo Chávez”

Página 7

Mossul arrasada pelas bombas ianques: 1 milhão de desalojados

      Lavrov: evacuação caótica de Mossul fez com que mais pessoas morressem

    
Trump Jr. chamado para fazer uma ponta no novelão “os russos estão chegando”

     Premiê May oculta relatório sobre os financiadores de terroristas para acobertar Arábia Saudita, diz a oposição

Congo frustra tentativa de ‘viúvas’ de Mobuto para assassinar líder do PC e aliado do presidente Kabila

     A Índia, 2º país mais populoso, adota política de planejamento familiar

    Chanceler de Omã visita o Irã por solução para crise no Golfo

 

Página 8

“Anna Karenina” vai abrir a 4ª Mostra Mosfilm no Brasil

Diretor Karen Shakhnazarov estará presente na abertura da Mostra

Publicidade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FV-  '\Q2 DC ZVBNM