Temer sanciona lei do Fundão bilionário

A chamada "Reforma Política", aprovada na calada da noite da última quinta-feira (5) pelo Congresso Nacional, e sancionada por Michel Temer, não tem nada de reforma. Ela visa apenas dificultar a renovação do Congresso e manter o foro privilegiado de corruptos. O "fundão", idealizado pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP), será abastecido com 30% das emendas de bancada - recursos que deveriam ir para a saúde, educação, etc. 70% desses recursos serão embolsados pelos partidos que mais roubaram nos últimos anos: PT, PMDB e PSDB.

Não satisfeitos, os ladrões foram agraciados com mais um presente de Michel Temer. Foi vetado o item da lei que limitava o autofinanciamento das campanhas. Ou seja, os empresários, latifundiários e demais endinheirados poderão bancar com recursos próprios toda a sua campanha. Só os ricos se elegerão. As "empresas" poderão receber recursos de outras empresas e esse dinheiro poderá entrar nas campanhas eleitorais como "recursos próprios" do candidato. Eles serão laranjas deles mesmos. Ou seja, criaram o fundão com dinheiro público e, além disso, burlaram a proibição do financiamento empresarial de campanha.

Além dessas medidas escandalosas, que privilegiam o clubinho de partidos corruptos, a proibição das coligações e as cláusulas de barreira, visam também impedir o fortalecimento de novos partidos e barrar a tão almejada renovação parlamentar. A rejeição aos atuais deputados e senadores, em grande parte eleitos à base de propina, nunca foi tão alta. A previsão era de que haveria um renovação recorde de mais de 70% do Congresso nas próximas eleições. Se dependesse do povo, boa parte dos atuais parlamentares não estaria nem no Congresso, mas sim atrás das grades.

Como se não bastasse, os deputados queriam ter o direito de censurar a internet, tirando do ar, sem decisão judicial, e em 24 horas, qualquer postagem que eles considerassem como "ofensiva". Esse esbulho foi repudiado por todo o país e acabou não sendo sancionado. Temer deve ter ficado com medo de apanhar nas ruas.

As medidas restritivas obrigam os partidos a obterem no mínimo 1,5% dos votos válidos distribuídos em 9 estados, com ao menos 1% de votos em cada um deles, para terem acesso aos recursos do fundo partidário e ao tempo de televisão. Como alternativa as legendas terão que eleger no mínimo 9 deputados distribuídos em um terço das unidades da federação. As exigências vão aumentando até 2030. A proibição das coligações começará em 2020. As cláusulas de barreira já valerão para as eleições de 2018.

A distribuição dos recursos do fundo eleitoral será feita da seguinte forma: 2% será dividido igualmente entre todos os partidos. 35% entre os partidos com ao mínimo 1 deputado na Câmara. 48% entre os partidos na proporção do número de deputados na Câmara em 28 de agosto de 2017 e 15% entre os partidos na proporção do número de senadores em 28 de agosto de 2917. O que podemos concluir dessa "reforma" é que, ao invés de democratizar as eleições, elas vão afastar ainda mais o povo e os trabalhadores do processo eleitoral.

SÉRGIO CRUZ

 
 
Capa
Página 2

Página 3

Auxiliar de Temer é flagrado tratando de propina com JBS

Temer sanciona lei do Fundão bilionário

Para pesquisa, 70% não vê diferença entre PT e PSDB; 63,7% não votariam em candidatos desses partidos

Juiz Sérgio Moro cobra de Lula os originais dos recibos dos aluguéis

Exposição na Câmara presta homenagem a João Goulart

Temer obstrui a Justiça trocando deputados na CCJ

É urgente o fim do foro privilegiado, diz Fachin

Gilmar Mendes é alvo de outro tomataço em S. Paulo

AGU de Temer envia ao STF parecer a favor de Aécio

Página 4 Página 5

Cobap organiza audiência para combater ataque à Previdência

“Querem é livrar a cara dos maiores devedores da Previdência e descontar no trabalhador”, diz dep. Faria de Sá

“Reforma trabalhista não será aplicada acima da Constituição”, afirmam juízes do Trabalho

GM: Metalúrgicos de S. J dos Campos rejeitam acordo sem aumento real e que corta direitos

Para Superior Tribunal Justiça, suspender auxílio-doença sem perícia médica é ilegal

Correios aceitam acordo que renova ACT e encerram greve

Redução de direitos: Petroleiros rejeitam proposta e encerram assembleias defendendo greve

Justiça do RJ proíbe governo de cortar salários de grevistas

 

 

Página 6

Espanhóis se unem por diálogo e na condenação à repressão de Rajoy

“Joan Manuel Serrat: “governo espanhol deve conversar com as forças catalãs”

“Ganhamos o direito à independência, mas propomos o caminho do diálogo”, afirma chefe do governo catalão

“Norte-americanos entregaram 1.421 caminhões com armas e equipamentos a terroristas do EI”, afirma general sírio

Turquia responde a veto dos EUA a cidadãos turcos e suspende a emissão de vistos a norte-americanos

Encontro de comunicadores anti-imperialistas reafirma o legado guevarista

Página 7

Evo: “Che vive na luta contra o império e em defesa dos povos”

    Apontamentos de Che sobre um livro famoso

    Partido do Trabalho completa 72 anos à frente da construção socialista na RPDC

    Air Berlin, a 2ª maior empresa aérea alemã, está insolvente há três meses e vai demitir 1.400


 

Página 8

Apontamentos de Che sobre um livro famoso